Abrahão Crispim Filho da redação

O erro do STF, no caso do Aécio, está lá no passado e não no presente. Quando veio a público a gravação do Aécio com o cara da JBS, em 17 de maio de 2017, o Supremo tinha todas as condições de prender preventivamente, e em flagrante, o senador tucano. Não o fez e é bom lembrar que por muito menos fizera isso contra o então senador Delcídio do Amaral, em 25 de novembro de 2015.

Passados quase 5 meses do episódio, não haveria de se falar em flagrante contra o golpista Aécio – seria algo ilógico e absurdo falar em flagrante depois de tanto tempo já passado. No caso Delcídio, o senado avalizou a posição do STF no mesmo dia da prisão; no caso do Aécio, o senado vai avalizar ou não a decisão do STF sobre as medidas cautelares. A rigor, é a mesma situação. Compreendam que a decisão final, de avalizar ou não, é do senado e isto é o correto pois está na Constituição. O erro, é bom repetir, foi do Supremo que piscou e que não prendeu Aécio em flagrante quando isso era possível e correto, lá em maio de 2017.


 

R7 TORPEDO - DE OLHO NA MÍDIA
Gostou disso? Compartilhe!