Maracaí do ‘Menino da Tábua’

Por De Olho Na Mídia | segunda-feira, maio 1, 2017 | 251 views

Por: Thiago de Menezes / thiagoturismo@deolhonamidia.com

© Fornecido por divulgação

O turismo religioso é uma grande vertente no Brasil, seja em Aparecida do Norte, como em outras localidades, para onde as pessoas viajam em busca de oração, num misto de fé, misticismo e folclore.

Assim como em Tambaú, com a figura do Padre Donizeti; em Baependi, com a figura de Nhá Chica; também Maracaí, hoje uma conhecida Estância Turística Religiosa do Estado de São Paulo, recebe seus fieis em meio a turistas de todas as partes.

A cidade de Maracaí sempre espera romeiros e turistas durante os finais de semana para peregrinações religiosas em torno da figura popular de Antônio Marcelino, o ‘Menino da Tábua’, hoje uma personalidade religiosa de devoção popular brasileira, cultuada informalmente pela realização de supostos milagres.

© Fornecido por divulgação

Maracaí é uma cidade do oeste paulista, próxima a Assis (região de Marília), com cerca de 14 mil habitantes. A localidade em si é bem tranquila e a cana de açúcar predomina ao seu redor.

Conta a história que no ano de 1890, a “Companhia Colonizadora Paulista” cedeu terras em torno do Rio Jacu para a formação de um povoado. Neste local, em 1900, nasceu Antônio Marcelino, filho de lavradores humildes que participaram do desbravamento local.

Em 1907, o então povoado virou Cândido Mota e, por tal motivo, a cidade é colocada como local de nascimento do menino. Mas, Antônio Marcelino viveu a maior parte de sua vida em Maracaí.

© Fornecido por divulgação

Marcelino, segundo os relatos, foi um bebê prematuro, tendo nascido de sete meses. Portador de deficiência física, conta a tradição oral que sua cabeça se desenvolveu normalmente, mas o corpo permaneceu de criança.

O pequeno Marcelino passava os dias sobre uma velha tábua de lavar roupas, surrada e sem qualquer conforto, por isso ficou conhecido como o ‘Menino da Tábua’. Era apenas sobre essa tábua que se acalmava e dormia. Na verdade ele era uma vítima de uma doença que o impedia de andar e restringia seu crescimento, passando a maior parte da sua vida deitado.

Ativo e de comportamento estranho, ele nunca aceitou dormir no berço, cama ou sofá e chorava muito quando era colocado sobre locais confortáveis. Para se alimentar consumia apenas água, pão e leite. Não gostava de usar roupas ou cobertas e por isso viveu toda a sua vida nu, não importando se estivesse calor, frio ou chovendo; assim como não deixava que forrassem sua tábua. Também se diz que nunca saía de casa e jamais viu a luz do sol.

Em pouco tempo a história do “Menino da Tábua” começou a se espalhar e muitos começaram a visitá-lo ainda em vida, em busca de milagres. Segundo relatos, quando o devoto o procurava por uma graça, a mesma seria alcançada caso o menino sorrisse. Ao contrário, se fosse percebida certa revolta em seu comportamento ou fizesse “cara feia”, a graça não seria alcançada e era ainda o prenúncio de morte certa. Portanto, as pessoas tinham receio em visitá-lo.

© Fornecido por divulgação

A fama de milagreiro e curandeiro cresceu ao longo dos anos e extrapolou as fronteiras da pequena Maracaí. Ele faleceu no dia 31 de Agosto de 1945, dia do seu aniversário e foi enterrado no cemitério local, junto com sua tábua. A esse “menino” devem-se grandes curas. São centenas de relatos e agradecimentos ao ‘Menino da Tábua’. Pessoas de toda a parte do Brasil vão visitar seu túmulo para pedir uma cura ou milagre. Esse túmulo foi coberto e virou uma capela, onde os romeiros rezam, fazem pedidos ou agradecem por graças alcançadas, deixando fotos, objetos e presentes.

Ao lado foi construída a “Sala dos Milagres”, repleta de lembranças por graças alcançadas e, em frente, um grande barracão onde são celebrados terços e missas. Hoje, o ‘Menino da Tábua’ é cultuado pelos católicos como um santo popular, isto é, sem o reconhecimento oficial da Igreja Católica. Foi instituída uma grande festa anual em sua homenagem e em 2011 a comemoração atraiu milhares de fieis. No mesmo ano, o deputado estadual Mauro Bragato (PSDB) apresentou projeto de lei declarando a cidade de Maracaí uma Estância Turística Religiosa e incluiu a festa no calendário turístico de São Paulo. Assim é a pacata Maracaí!


 

R7 TORPEDO - DE OLHO NA MÍDIA
Gostou disso? Compartilhe!