© Fornecido por Greenpeace

Celebridades europeias lançam carta pedindo o reconhecimento de terra indígena no rio Tapajós

Greenpeace activists and the Munduruku indigenous people use stones to form the "Tapajós Free" phrase on a sandy beach on the banks of the eponymous river, near the city of Itaituba, in Pará, Brazil. The protest, attended by about 60 Munduruku, occurred in the region where the government plans to build the first of a series of five dams in the Tapajós basin. Ativistas do Greenpeace e índios Munduruku usam pedras para formar a frase "Tapajós Livre" nas areias de uma praia às margens do rio de mesmo nome, próximo ao município de Itaituba, no Pará. O protesto, que contou com a participação de cerca de 60 Munduruku, ocorreu na região onde o governo pretende construir a primeira de uma série de cinco hidrelétricas na bacia do Tapajós. Itaituba, Pará. 26/11/2014. Foto: Marizilda Cruppe/Greenpeace.

Protesto contra a construção de hidrelétricas no rio Tapajós © Fornecido por Marizilda Cruppe/Greenpeace.

Hoje a luta do povo Munduruku no rio Tapajós ganhou aliados de peso. Celebridades europeias escreveram uma carta pedindo ao governo brasileiro que reconheça o direito do povo Munduruku ao seu território para proteger a região da construção de hidrelétricas. Assim, elas se somam a mais de 1 milhão de pessoas que apoiam a luta pelo rio Tapajós livre de barragens.

Ao todo, 48 celebridades assinam a carta, incluindo nomes como os cantores Paul McCartney e Dave Gilmour, a estilista inglesa Vivienne Westwood, a atriz Emma Thompson e a ativista Bianca Jagger.

No documento,  eles comemoram a decisão tomada pelo Ibama, na semana passada, que na práticacancela a construção da hidrelétrica de São Luiz do Tapajós, mas lembram que ainda há outras hidrelétricas ameaçando a região. “A melhor maneira de proteger esta terra e o seu povo é o governo brasileiro reconhecer o direito dos Munduruku ao seu território e as empresas do setor de hidrelétricas ficarem fora desse negócio destrutivo”, afirma trecho da carta, que foi publicada no jornal The Guardian. Leia abaixo a tradução:

Brasil deve reconhecer a terra dos índios Munduruku

Nós saudamos calorosamente a decisão tomada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) que cancela a construção de São Luiz do Tapajós, hidrelétrica gigantesca que ameaçava acabar com uma parte de floresta intacta no coração da Amazônia. Foi um dia de alívio e esperança, não só para os Munduruku que teriam suas terras ancestrais alagadas, como para todos aqueles que cuidam e protegem uma das maiores maravilhas naturais do mundo.

O rio Tapajós e a floresta ao redor são áreas de beleza natural e biodiversidade sem paralelo, onde novas espécies animais continuam sendo descobertas até hoje.

A decisão do órgão brasileiro é uma virada na batalha para proteger esse pedaço da Amazônia, mas a luta ainda não terminou. A hidrelétrica cancelada é uma das cinco planejadas para essa área extremamente sensível. A melhor maneira de proteger esta terra e o seu povo é o governo brasileiro reconhecer o direito dos Munduruku ao seu território e as empresas do setor de hidrelétricas ficarem fora desse negócio destrutivo.

Raymond Blanc, Jim Broadbent, Peter Capaldi, Caroline Catz, Charlotte Church, Lily Cole, Olivia Colman, Emma de Caunes, David de Rothschild, Jonathan Dimbleby, Abigail Fallis, Hugh Fearnley-Whittingstall, Ranulph Fiennes, Livia Firth, Ben Fogle, Rebecca Frayn, Leebo Freeman, Terry Gilliam, Dave Gilmour, Jane Goodall, Jamie Hewlett, Kurt Jackson, Bianca Jagger, Terry Jones, Anish Kapoor, Annie Lennox, Joanna Lumley, Glyn Macey, Alistair McGowan, Renu Mehta, Roger Moore, Simon O’Brien, Dermot O’Leary, Michael Palin, Bruce Parry, Paul McCartney, Grayson Perry, David Puttnam, Vanessa Redgrave, Mark Rylance, Greta Scacchi, Timothy Smit, Alison Steadman, Emma Thompson, Sophie Thompson, Zoë Wanamaker, Vivienne Westwood, Benjamin Zephaniah


 

R7 TORPEDO - DE OLHO NA MÍDIA
Gostou disso? Compartilhe!